Bem vindo a Pecuária do Real

Creio que vale comentar a questão mais a fundo…

A meu ver o vegetariano só é chato quando tenta convencer os carnívoros a serem vegetarianos. O mesmo vale para os carnívoros que prestam testemunho.

Mas… vá lá, é complicado para muita gente não concordar consigo mesmo e se abster de tentar argumentar em favor da forma como resolveu viver a própria vida – vide o poster em anexo.

Faz tempo eu venho falando que havia carne até mesmo na confecção de tênis e máquinas fotográficas, mas isso não resolve uma questão: se é moralmente razoável ou não comer carne.

É um dilema moral, assim como a legalização do aborto, a liberação da maconha ou a proibição do cigarro em áreas abertas (sim, isto está sendo considerado em todo o mundo), há muito em jogo e muitas disposições em favor e em contrário.

O vegetariano-por-motivos-de-saúde não se importa tanto com o cartaz em anexo, o vegetariano-por-motivos-morais luta para não compactuar (tanto quanto possível) com a morte de animais para ingestão. O sacrifício é particularmente grande hoje, quando a carne está em toda a parte e o vegetariano não escapa de compactuar inadvertidamente com a morte de um animal quando come uma jujuba.

Vivendo em épocas de escravidão, Irineu Evangelista de Sousa, ao adquirir a fundição da Ponta de Areia, em Niterói, comprou-a com os escravos dentro. Ele era abolicionista. Começou a pagar os escravos semanalmente para que estes pudessem comprar sua alforria. Ele poderia ter pago a alforria de cada um de uma vez ou então ter virado um revolucionário e financiado revoltas de negros (muito mais numerosos que os brancos). Sua forma de lutar em favor do abolicionismo, contudo, era outra.

Havia, na época, quem achasse que a escravidão era correta. Havia, na época, quem a achasse incorreta.

O mérito do engajamento de Irineu, contudo, é considerável, ainda que não lhe fosse possível resolver tudo ao mesmo tempo.

Votamos hoje, quase todos nós, para conseguirmos um país melhor e, no entanto, sabemos que a grande maioria da classe política está envolvida com o crime organizado ou com a corrupção. Votamos mesmo assim e, portanto, somos coniventes.

Poderíamos pegar em armas, mas escolhemos o caminho do conformismo ou do engajamento em formas mais brandas de luta pelo que achamos correto.

Não é diferente com os vegetarianos.

Há aqueles que tentam converter, há aqueles que divulgam coisas no Facebook, há aqueles que apenas não comem carne, há aqueles que não usam nenhum produto de origem animal, há aqueles que admiram a postura mas não podem deixar de comer por condição de saúde, há aqueles que acham a causa nobre e a apoiam, mas não deixam de comer carne.

Há espaço para todas as ideologias no mundo, para aquelas que não entendemos, para aquelas com as quais mesmo entendendo não concordamos, para aquelas a respeito das quais estamos totalmente equivocados e para aquelas que, no futuro, podem vir a ser o comportamento social dominante.

Eu apoio a diversidade, a pluralidade, a tolerância por princípio – ainda que, por vezes, isso seja incômodo ou inconveniente.

Ao menos esta é a minha forma de ver as coisas… É o que eu acho que é certo para mim, não o que eu acho que é certo para você.

Fique à vontade para Refletir sobre o que eu escrevi, se achar que faz sentido.

Carl Sagan faria hoje 77 anos

Carl Sagan foi um grande mestre para mim quando adolescente e o grande responsável pelo meu fascínio pela Ciência e pela minha profunda ligação com a Filosofia – o que eu viria a descobrir mais tarde.

A série Cosmos, por ele produzida e exibida pela Globo no Brasil no início da década de 1980 marcou época e semeou o pensamento crítico e a noção histórica para muitos jovens que, como eu, não conseguiam fazer outra coisa senão sentar diante da tela da TV nas manhãs de domingo para assistir a “viagem pessoal” de Sagan.

Um dos maiores divulgadores científicos do Século XX, Carl Sagan representava o que havia de melhor na Ciência enquanto disciplina e, em sua longa carreira, participou do Programa Espacial nas missões Apollo, Mariner, Viking, Voyager e Galileu, foi uma das peças chaves no entendimento do Efeito Estufa, recebeu o o prêmio da Academia Nacional de Ciências, 22 títulos honoris causa de instituições acadêmicas, medalhas da NASA por Excepcionais Feitos Científicos, o Prêmio de Astronáutica John F.Kennedy da Sociedade Astronáutica Norte-Americana, p Prêmio de Beneficência Pública por “distintas contribuições para o bem estar da humanidade”, a medalha Tsiolkovsky da Federação Cosmonáutica Soviética e o prêmio Pulitzer de literatura.

Chega a ser tedioso discorrer acerca de suas conquistas e de sua contribuição para o presente e para o futuro da Humanidade, de tão extensa que seria a lista.

Enquanto “Cosmos” foi uma de suas obras mais notórias, “Dragões do Eden” foi sua obra seminal e, dentre as obras que produziu, Sagan foi capaz de deixar um importante instrumento que, desde então, serve para semear o fascínio pela Ciência na mente de jovens em todo o mundo… o livro “Contato”.

Transformado em filme de forma extremamente competente por Jody Foster, o livro é uma declaração de amor à Ciência, ao conhecimento e à tolerância ideológica.

A Humanidade deve muito a um sem pequeno número de pessoas das quais não se recorda, das quais caçoa e das quais jamais ouviu falar. Nosso vida está intrínsecamente ligada a Tales, Sócrates, Platão, Aristóteles, Aristarco, Hipácia, DaVinci, Newton, Bohr, Einstein, Lindt e não conseguimos ou não estamos interessados em saber disso. Sagan e tantos outros cientistas e filósofos mais contemporâneos merece um lugar de honra entre o panteão de semi-deuses da história Humana.

Com produção de Seth MacFarlane, “Cosmos: A Space-Time Odyssey” está planejada para ser lançada em 2013, tabém com 13 episódios escritos por Ann Druyam (viúva de Carl Sagan) e roterista e produtora da série original. O apresentador no lugar de Sagan será astrofísico Neil deGrasse Tyson.

Cosmos é uma obra fundamental e deveria ser obrigatória em escolas do mundo inteiro. Seu conteúdo não cai na armadilha de atacar qualquer outra ideologia e celebra todos os aspectos da Virtude Humana. Em mais de 30 anos ouvimos falar muito pouco de Cosmos, mas a obra é facilmente adquirida nos dias de hoje e vale a pena fazê-lo para mostrar a seus filhos e assistir com amigos.

Carl Sagan faria 77 anos hoje… ele persiste na memória de todos os que inspirou. Esperemos que sua última viagem pessoal pelas margens do oceano cósmico esteja sendo tudo que sempre esperou.

Alex Jones:
O Mundo Acabou

Alex Jones é um agitador subversivo, panfletário inflamado e teórico da conspiração que, muito provavelmente, está absolutamente certo.

A primeira vez que vi Alex Jones ele era um desenho animado, fruto do efeito de rotoscopia do filme “Waking Life”, de Richard Linklater e aquele discurso foi um dos mais fascinantes e inspiradores que já tive a oportunidade de testemunhar.

Depois disso tive a oportunidade de assistir “End Game”, onde o reconheci pela voz e onde ele fazia acusações aparentemente ensandecidas contra o Governo dos EUA e contra líderes mundiais. Apesar do discurso inflamado, contudo, fui tocado pela forma, conteúdo e intenção do discurso de Jones.

Neste episódio do documentário em série “Police State 4”, Alex Jones faz ataques inflamado a FEMAFederal Emergency Management Agency – agora parte do Home Land Security, esta última criada após os ataques de 11 de Setembro.

Após o Ato Patriótico – USA Patriot Act – uma controversa reação legal dos EUA que garante a invasão de lares, a queda da privacidade de cidadãos, interrogações e torturas de possíveis suspeitos, traidores ou terroristas (sem direito a defesa ou julgamento). As liberdades civis com esse ato ficam irrelevantes e descontinuadas.

Críticos de esquerda relacionam essa lei como um passo legal para a instituição de lei marcial na eventualidade de qualquer evento de terrorismo, seja ele falso ou verdadeiro – ao que o Home Land Security responde com a afirmação de que a mera suposição é considerada anti-governo e, portanto, subversiva e elegível para ações dentro do rigor do Ato Patriótico.

USA Patriot Act é, na verdade, uma sigla, que significa “Ato de Unir e Fortalecer a América Providenciando Ferramentas Apropriadas Necessárias para Interceptar e Obstruir o Terrorismo”- do inglês “Uniting and Strengthening America by Providing Appropriate Tools Required to Intercept and Obstruct Terrorism Act of 2001”.

A idéia inicial da FEMA, quando fundada, em 1º de Abril de 1979 por ordem presidencial era absolutamente louvável e, contudo, quando ungida dos poderes conferidos pelo USA Patriot Act as coisas se complicam bastante e deixam o cidadão nas mãos de um governo cuja agenda secreta é historicamente extensa e cheia de omissões e mentiras.

Pode-se falar o que se quiser acerca de Alex Jones… mas este é o tipo de coisa que me deixa indisposto com a nossa realidade e que concorre para que eu acredite ainda mais que vivemos em uma espécie de Utopia Distópica, um Totalitarismo Inconspícuo, do qual não acreditamos ser prisioneiros porque nós mesmos construímos a nossa prisão, porque estamos confortáveis o suficiente e porque estamos encarcerados em uma cela cujas grades sequer estamos treinados para enxergar.

Intolerância, Homofobia e Masculinidade

Em instigante artigo acerca da pesquisa sobre Intolerância, de Cristina Lasaitis, publicada na Veja Online, Pollyane Lima e Silva discorre acerca do trabalho da pesquisadora que aponta a relação entre Homofobia e o conceito de Masculinidade.

Plenamente aceitável que uma pessoa, que só se interesse por mulheres, goste de ver duas mulheres juntas. O mesmo indivíduo, se não gosta de homens, de fato não vai apreciar ver dois homens juntos mais que um casal formado por um ornitorrinco e uma girafa… mas muito embora eu acredite que as pessoas devam poder pensar o que quiser, qualquer ato intolerante é de uma idiotia tão indesculpável que falho em compreendê-lo.

Considerando o fato de que – aos olhos de Homens e Mulheres – quando uma mulher se envolve com outra não perde nada e quando o homem se envolve com outro perde a masculinidade, é bastante previsível o fenômeno da homofobia – mas não menos estarrecedor.

Preconceito é o conceito que vem antes do conhecimento e, portanto, estúpido por definição. É a marca de quem não vê como importante refletir acerca das próprias idéias – sinal inequívoco da forma de burrice necessária para que a Homofobia continue existindo.

Eu, sinceramente, estou pouco me lixando para se o intolerante vê motivação em sua ideologia e em seus atos injustificáveis. Motivo todo mundo tem, seja estuprador, ladrão ou assassino. O improvável é que a motivação patética apresentada seja Justificativa de quaisquer destes atos.

Isto posto…

Resta saber se “a masculinidade só existe de fato na negação obsessiva da feminilidade e da homossexualidade” – como sugerido – ou se não é este o caso. Se a sugestão for um fato, a medida necessária, creio, deve ser de caráter cultural e educacional e não somente de caráter político ou legal que, sozinhos costumam funcionar ao contrário.

Não sei se o interesse masculino em casais formados por lésbicas é essencialmente relacionado a erotização desta forma de relação ou se é um corolário de se tratar da simples idéia matemática de que duas mulheres são melhores que uma.

Apesar de entender como válida a proposição, me parece razoável acreditar que o interesse é tão egoísta quanto aquele que coloca o homem na posição de aceitar a mulher que tenha fantasias em trazer uma amiga para a cama com ele, mas que repudia que esta mesma mulher traga um amigo.

Me parece que, no caso acima, trata-se mais do mero egoísmo do que necessariamente de uma erotização da imagem da mulher heterossexual ou homossexual. Parece-me o clássico exercício humano do hedonismo incondicional e egocêntrico.

Há muito a ser discutido acerca do assunto e há que se desvendar se existe de fato correlação entre intolerância e erotização da imagem da mulher, ou se a intolerância para com o casal homossexual masculino é de responsabilidade do preconceito de homens – E Mulheres – quanto ao noção de masculinidade.

Enquanto isso, o bom senso me diz que Feminilidade é atributo de quem é do sexo Feminino e Masculinidade é atributo de quem é do sexo Masculino. Como consequência, a opção sexual é a opção da prática sexual e não a opção – ou falta de opção – entre fazer parte de um gênero ou de outro. A Masculinidade ou a Feminilidade não deveria ser perdida, tanto quanto a Humanidade não deveria ser perdida, quando uma pessoa resolvesse praticar sexo com alguém do mesmo gênero entre quatro paredes ou expressar seu amor em público de forma aceita para quaisquer outras pessoas em relacionamentos heterossexuais.

Quanto a Lei Anti-Homofobia

A lei não reza sobre o que se pensa, mas sobre os nossos atos. Não é preciso que concordemos uns com os outros. Só é preciso que o mesmo respeito seja merecido por todos e, assim, garanta a diversidade.

Sexo: O peixe morre pela boca

Em recente e alarmante notícia veiculada pelo Terra, “O tabaco, substância presente no cigarro, e o consumo de bebidas alcoólicas sempre foram apontados como um dos principais fatores para desenvolvimento de câncer na região da garganta”, e até aí estaria tudo muito bem se o primeiro parágrafo não fosse arrematado com, “Pois agora cientistas afirmam que o sexo oral ocupa o topo da lista entre os comportamentos de risco.”

Ao que parece o HPV é a principal causa de câncer de garganta em menores de 50 anos e, uma vez que as principais vítimas de câncer de garganta são homens acima dos cinquenta, a pesquisa parece apontar que sejam rapazes, moças ou senhores acima dos 50… ou seja.. está todo mundo mandando ver no boquete!

Ainda segundo a notícia, a Inglaterra e Suécia também identificaram aumento da doença devido ao HPV, o que significa que a situação – e a prática – vem se alastrando de forma inexorável desde 1970. Segundo estudos, a relação entre HPV não passava de 25% e agora está acima de 90%, sugerindo que chupa-se muito mais hoje do que no passado.

A pesquisadora Maura Gillison ressalta que o risco aumenta de acordo com o número de parceiros, o que coloca em cheque praticantes de Gang-Bang, Swing e Menage a Trois… ou mesmo pessoas que simplesmente fazem demais a coisa.

Em estudo conduzido na Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, ficou claro que pessoas que tiveram mais do que seis parceiros com quem praticaram sexo oral tinham nove vezes mais chances de desenvolver câncer de garganta, o que sugere que a cada pinto as chances de desenvolver a doença aumentam em 1,5 – muito mais risco do que se espera de colocar um cigarro na boca.

Depois de tanta campanha anti-tabagista a notícia coloca em perspectiva o colossal esforço de fiscalização empreendido, talvez indicando que o que deveria ser proibido era o sexo oral em lugares fechados ou – por que não? – uma campanha de conscientização do felador-passivo.

Não sem certo constrangimento médicos em todo mundo, que participaram do levantamento estatístico, sugeriram que homens também sejam vacinados, bem como meninas a partir dos 12 anos de idade – por muitos considerada a idade do “Tchibum”.

Uma vez que outras pesquisas apontam para o fato de que a Maconha pode reduzir o aumento do Câncer de Mama, o mundo como nós o conhecemos pode estar prestes a mudar profundamente, corroborando com a realidade de que muitas mulheres estão largando os pintos pelos peitos, em muitos casos enquanto fumam Maconha.

A vacina, segundo estatísticas, previne em até 90% as chances do desenvolvimento do câncer de garganta em praticantes de sexo oral, garantindo ao desportista uma queda nos riscos para 0,15 de desenvolver a doença, por parceiro (mais do que razoável de acordo com os índices da Organização de Saúde) e suficiente para um aumento de autonomia de pelo menos 6 parceiros e meio por ano e não mais que 9 vezes mais chances de desenvolver câncer de garganta ao longo de 10 anos do que uma Católica praticante ou um Padre – caso este seja celibatário, obviamente.

Notícia original no Terra
Maconha pode conter câncer de mama, diz pesquisa

SteamPunk agora tem VidCast Brasileiro

O Conselho SteamPunk é talvez a ferramenta de comunicação baseada em gênero mais poderosa que já se viu por aqui… e não, isso não é um exagero.

Não havendo líderes e sendo possível que qualquer pessoa em qualquer parte do país crie sua própria “Loja” – nome dado a um grupo de entusiastas do gênero SteamPunk – em dois anos a organização fundada por Cândido Ruiz e por mim mesmo acabou se tornando uma “coqueluche” (nada mais apropriado que este adjetivo anacrônico) e definitivamente ganhar contorno de Movimento.

E se você não sabe o que é SteamPunk, saiba que já está chegando a hora das pessoas pararem de perguntar. “SteamPunk é a produção de ficção científica do Século XIX no Século XXI, seja através da literatura, quadrinhos, ilustração, animação, cinema, moda, design de jóias ou qualquer outra forma que o artista se sentir mais à vontade.”

Esta é a definição de um parágrafo na qual chegamos após dois anos de imersão total neste mundo retrofuturista.

No vidcast acima – cujo processo de criação discuto em meu site pessoal – discorro acerca das publicações SteamPunk no Brasil e, em seguida, passo para uma entrevista com Kevin Mowrer, autor de uma releitura de “Frankenstein”.

O resultado final foi obtido em apenas 24 horas não consecutivas de trabalho e muita ajuda de Carol Fortuna – minha noiva, cuja compreensão, paciência e apoio sempre são essenciais para que tudo dê certo.

E é importante lembrar que na quinta-feira – dia 30 de Dezembro de 2010 – às 21 horas, ocorre o Virtual SteamCon 2010, evento online que envolve bate-papo em texto, áudio, vídeo e exibição de trechos de filmes.

Veja o anúncio e o roteiro do evento no site do Conselho SteamPunk.